domingo, 7 de setembro de 2008

tem a ver com revistas

É sempre muito fácil associar um certo tipo de imprensa escrita a determinadas orientações políticas. No entanto, temos um desafio: MGI.
A Magazine Grande Informação, é uma revista pseudo com cenas pseudo de algum interesse. Mas eu não sei definir a MGI, quanto à sua tendência. É uma espécie de revista estrábica ou hermafrodita. Nao sabe bem pa onde vai, tanto diz que "ser de esquerda é a mesma coisa que ter tido uma infancia infeliz" como "sem a esquerda o mundo era muito mais negro". Não percebi.
Outra coisa que queria aqui desmistificar, afastando-me da cena das revistas, é o facto de me irritar a, aparente, não complexidade das grandes superfícies. Falo de hipermercados.
O Jumbo/Continente e raio-que-o-parta são o "Rent-A-Car" dos bens de primeira necessidade e outros. Tudo não passa de um negócio obscuro de propaganda alimentar e de técnicas de marketing promocional. Ou apenas de uma "Expo do Hipermercado". Passo a explicar. Estas superfícies funcionam como meras estruturas comerciais de aluguer ou cedência de espaço a produtores e fabricantes, onde estes, a troco de muito mais dinheiro do que aquele que lucram, expõem os seus produtos a fim de os venderem, as superfícies estabelecem os preços muito aquém dos preços praticados pelos fabricantes/produtores. Eu também acho que está confuso. Caguei.
No que toca à exposição dos produtos, a prateleira ao nível dos olhos é mais cara. Trata-se de um principio básico no que concerne o marketing e a publicidade, sendo que, quando um produto tem mais saída que o outro, a estratégia de posicionamento deste altera-se em benefício daquele que, apesar de semelhante, tem menos procura. Num sentido lato, nunca iremos encontrar o mesmo produto no mesmo sitio, fazendo com que haja uma manipulação constante e imperceptível daquilo que consumimos. Portanto, quem escolhe o que eu como é um elefante.
Se o mundo fosse um hipermercado internacional e se a estupidez sofresse o mesmo tipo de medidas, a prateleira Paulo Portas pagaria taxas ridículas por ter tanta merda ao nível dos nossos olhos. Sendo que, se a mantivesse apenas na parte da derme que queima com sucessivas idas ao solário não haveria, a meu ver, grandes implicâncias, dado que o calor mata a bicheza toda e, com um bocadinho de sorte, todo o Paulo Portas.
Uma outra coisa que vou aqui partilhar e, porque sou excepcional e muito generosa, que ninguém ainda se deu conta (se alguém deu, então faça o favor de não exteriorizar, o blog é meu e eu digo o que eu quero e faço das minhas flatulências cognitivas verdades universais e inquestionáveis. factos, portanto). O facto de o Estado nunca ter guito para rigorosamente coisa nenhuma. Isto não passa de uma cena tão básica como a de este funcionar como uma conta ordenado em grande escala ou de uma bola, não de neve mas de merda, que vai aumentando com o passar dos anos e explica perfeitamente o défice constante em que nos encontramos.
A falta de muitas coisas, entre elas a de uma creche na Assembleia da República, fazendo com que os planos económicos e etc não sejam sempre composições com letra da primária sobre as férias da Barbie na Patagónia ou sobre aquela senhora do PSD que não fala, em vez de coisas a serio, deixa a o porquê da falta de liquidez para injectar na sociedade. E não estou a falar de cavalo. Somos como que um pópó encalhado na merda do mémé que acabou de passar na estrada nacional 10, porque o agricultor vendeu o pasto para fazerem uma rotunda, que deve ter sido na Póvoa a mando da Rosinha e que deve, assim, ser a 34º rotunda a cada 100m de estrada ou falta dela. Eu sei não digo ponta.
Ok ainda faltam 2h30 pa me ir embora daqui. Dass!
asjklgasçugjºsjgºfjgºsdfjgºsdfjgºsdfjdsfgjºsdfjhºsdjhgºsdfjhºsdjhºsdçgjhºsdjh!!??!!!
Isto foi em aramaico, língua na qual eu sou mestre e quer dizer: "o filho da puta que acabei de atender cheirava a mofo".
E assim me despeço sem mais nada para acrescentar, vá a woolite.com e seja você a próxima convidada a mostrar que não percebe ponta de corno da dificílima tarefa de pôr roupa a lavar e que é estúpida e atrofiada o suficiente para não separar a roupa branca da roupa de cor. Sempre assim foi não sei pa que é que inventam, meu. E também não sei quem é que veste vestidos estampados, para além disso que merda de gaja é que usa saias à cigana? tou mesmo a ver qualquer dia ela a saltar p'ra cima do sofá a meter o dedo no nariz com a pilinha de fora e a abanar-se como se tivesse autismo, tipo os putos ciganos. Na melhor das hipóteses, não equacionadas por mim, rouba um holofote e vai-se embora.

chega.

Nota: Patas, se fizeres um comentário depreciativo e que exceda o tamanho do meu post vais levar na tromba e ver o Avante do próximo ano espetado na ceninha da tenda!

6 comentários:

xuehhu disse...

tao...
mas ..
mas n era sobre revistas? é q as duas primeiras linhas ta bem! agr o resto.. er... revistas?

quem e q se vai lembrar dos produtos ao nivel dos olhos e os elefantes e o caralho? e o posicionamento do produto tem tb a ver c o valor q a marca paga pa ter tal produto aqui ou ali. n é so o q vende e o q n vende.

burra. e seca.

xuehhu disse...

e da proxima atende o caralho do tlm pq se te tou a ligar é pa atenderes n é pa te gastar bateria.

(inicialmente escrevi "procima" em vez de proxima. não es a unica)

O Man disse...

Foda-se!

Tu não te calas. Deve ser um pesadelo estar contigo ao telefone.

JPL disse...

eu só tenho uma coisa ou outra a dizer e não tem nada a ver com o post, portanto fica para uma próxima. (cumpri o ps.)

coiso. disse...

yh o john fala pa caralho.


XD

JPL disse...

e porquê tanta violência para comigo?